Compartilhe
facebook twitter gplus mail

10 glampings incríveis pelo mundo

12/12/2018

Por Anna Laura Wolf*. Especial para a The Traveller


Foi em meados de 2005, no Reino Unido, que o termo glamping surgiu, apesar de o conceito de instalar-se numa barraca com algum luxo ser bem mais antigo que isso. Em tempos passados, nos que outrora foram os mais imponentes impérios do planeta, não se mediam esforços para manter a ostentação dos soberanos mesmo durante grandes deslocamentos. Tendas decoradas com bordados, flores e até azulejos eram só o começo. Algumas décadas depois que aventureiros pioneiros passaram a dormir em meio a natureza com luxo, conforto e praticidade, o número de propriedades adeptas ao glamping não para de crescer e a prática se confirma como uma das mais interessantes tendências de hospedagem. As barracas requintadas estão em safáris da África, nas praias da Indonésia, na selva de bambus da Tailândia, entre os picos nevados da Patagônia...

E também no Brasil, mais especificamente no sul do país, entre os cânions cinematográficos de Cambará do Sul. A proposta é sempre a mesma: oferecer uma boa dose de contato com a natureza sem abrir mão do conforto. E, por ter tudo a ver com um turismo mais sustentável, é esperado encontrar glampings com iniciativas sociais, ecológicas e econômicas que vão de uma maior integração com a comunidade e centros de preservação animal à adoção de equipamentos de iluminação fotovoltaica, redutores de fluxo de água e medidas de reciclagem de lixo. Já a estrutura das  acomodações pode ter diferentes formas, das esperadas tendas a um iglu ou uma casa na árvore. Quanto mais ousado, melhor.

 

Mongólia
Three Camel Lodge

O propósito da estadia é claro: ter uma visão luxuosa do estilo de vida tradicional no Deserto de Gobi. É por isso que as acomodações seguem o padrão de yurt, a típica habitação redonda que tem sido usada desde que os mongóis iniciaram a vida nômade com a criação de animais. Dá para visitar as dunas ondulantes de Khongoryn Els, o Gegeet Valley, casa do leopardo-das-neves, as esculturas rupestres do Havstgait Valley e as falésias vermelhas das famosas Flaming Cliffs.

As tendas do Three Camel Lodge. Exclusividade e sofisticação em pleno Deserto de Gobi, na Mongólia

Tanzânia
Sanctuary Swala Camp

O diferencial desses 12 espaçosos pavilhões de lona é que todos ficam de frente para um enorme lago do Tarangire National Park, ou seja, é possível avistar animais selvagens do conforto do quarto. A experiência carro-chefe costuma ser o piquenique numa clareira isolada da savana ao pôr do sol. Quem se interessa por apicultura tem a chance de conhecer o projeto que o estabelecimento desenvolveu numa aldeia próxima e comprar mel fresquinho para levar para casa.

 

Tailândia
Four Seasons Tented Camp Golden Triangle

Os barridos dos elefantes servem de despertador nas luxuosas tendas da selva de bambus do norte da Tailândia. Aliás, são eles os protagonistas locais: as pias têm torneiras em forma de presa de elefante, há a possibilidade de ajudar a banhá-los no rio e todo dia, no café da manhã, eles roubam uma e outra fruta da sua refeição. A novidade é a inauguração da Explorer’s Lodge, acomodação para até cinco hóspedes, com piscina no deck e vista para a imensidão da floresta.

 

Chile
EcoCamp Patagonia

Dentro do Parque Nacional de Torres del Paine, síntese da Patagônia com torres de granito e dramáticas geleiras banhadas por lagos azuis, essas cúpulas sustentáveis foram construídas com o mesmo formato das antigas habitações da tribo Kaweskar, originária da região. A estadia prevê boa interação entre viajantes: o pessoal se reúne para fazer churrasco, sair em trilhas e até praticar yoga (há uma cúpula só para isso).

Marrocos
Merzouga Luxury Desert Camp

Verdadeiro oásis no meio do deserto marroquino, entre Marrakesh e Fez, o lodge administrado por berberes, povo local do norte da África, é especialmente autêntico por suas cinco khaimas, barracas feitas de pele de camelo originalmente usadas por nômades. Chega-se por lá de camelo, 4x4 ou helicóptero, e entre as principais atividades estão caminhadas pelo deserto, sandboarding e observação de estrelas. Após o jantar, o programa é cantar em volta da fogueira: os staffs são peritos em música tradicional do Marrocos.

 

Austrália
Longitude 131º

O pano de fundo da estadia é Uluru, segundo maior monólito do mundo, e o cenário são as dunas vermelho-ferrugem do centro da Austrália. Das 16 tendas exclusivas enxerga-se a rocha maciça por um janelão de vidro, com a cabeça ainda no travesseiro. O jantar, servido sob às estrelas, tem menu de quatro pratos típicos que muda diariamente. Antes de dormir, o bacana é ouvir as histórias ancestrais sobre a cultura aborígene.

 

Botsuana
Mombo Camp Botswana

À sombra de frondosas árvores da Moremi Game Reserve, as nove confortáveis acomodações construídas a dois metros do nível do solo proporcionam fantásticas vistas da planície africana, casa dos Big Five. Há expedições diárias em busca dos animais a bordo de um 4x4, observação de pássaros e dicas sobre preservação ambiental. De brinde, quem vai malhar na academia a céu aberto costuma ter boas surpresas: não é raro que até leões apareçam.

Interior de uma das tendas-suítes do Chamba Camp, na Índia

Indonésia
Amanwana

Macacos e cervos fazem aparições matinais nas grandes janelas das 20 suítes com tendas do resort, situado entre a praia e a selva da Moyo Island, uma reserva natural não muito longe de Bali. Fazer trekkings até cachoeiras intocadas e nadar numa área marinha protegida, onde um caleidoscópio de corais toma forma, são destaques das atividades. Para acalmar os músculos, o melhor é apostar nos tratamentos ao ar livre do Jungle Cove Spa, sob sombreados tamarindeiros.

 

Índia
Chamba Camp, Thiksey

Acampar na beleza alpina de Ladakh, antigo reino budista cercado pela poderosa Cordilheira do Himalaia, é uma boa aposta para quem quer deixar de lado a Índia caótica. É em meio a esse cenário que ficam essas barracas de design sul-africano, com vista para o icônico Mosteiro Thiksey – praticamente uma réplica do Potala no Tibete. Atividades como rafting, caminhadas pelas aldeias remotas, jogos de polo e até mesmo uma sessão com o oráculo local estão previstas.

 

Brasil
Parador Casa da Montanha

Uma pousada que oferece barracas térmicas com jacuzzis externas, entre Cambará do Sul e o Caniôn do Itaimbezinho, no Parque Nacional dos Aparados da Serra, onde acorda-se sob neblina e friozinho. Dali é possível embarcar em cavalgadas, passeios de helicóptero e caminhadas até os bonitos cânions da região. Comidas campeiras, do carreteiro de charque ao feijão mexido, são servidas em panelas de ferro. O churrasco é em fogo de chão. Para sobremesa, delícias típicas do Sul, como o doce de abóbora.

 

* Anna Laura Wolf é jornalista e fotógrafa com passagens por redações de veículos como Caras Online e Viagem e Turismo e, hoje, toca o blog de viagens Carpe Mundi.

0 Comentário