Compartilhe
facebook twitter gplus mail

Novos Patrimônios Culturais da Unesco

12/11/2018
Cidade do Califado de Medina Azahara, Espanha.
Catedral de Naumburg, Alemanha.

No início de julho, o Comitê da Unesco reuniu-se na capital do Bahrei para a seleção dos novos sítios que passam a compor a lista do Patrimônio Mundial. Dos 19 novos locais inseridos à lista, 13 deles são considerados Patrimônios Culturais, enquanto os demais foram definidos como Patrimônios Naturais e mistos, totalizando 1.092 sítios preservados em 167 países diferentes. Dentre os novos Patrimônios Culturais declarados, dignos de visita e contemplação, se destacam as belezas exuberantes de monastérios budistas e paisagens marcantes de cidades antigas, todos donos de culturas riquíssimas refletidas através da história e dos tesouros arqueológicos sobreviventes ao tempo. 

Confira os treze novos Patrimônios Culturais declarados pela Unesco em 2018:

Aasivissuit-Nipisat, Dinamarca
No oeste da Groelândia, este território é lar de trilhas e sítios arqueológicos das culturas paleo-inuítes e inuítes. A paisagem cultural abriga resquícios de 4.200 anos de história humana, testemunhando a caça de animais terrestres e marinhos, além das suas tradições de migrações periódicas.
 

Sansa, Coreia do Sul
Sete monastérios budistas datados do século 7 ao século 9 espalham-se pela península coreana formando o Sansa. Esses mosteiros são considerados lugares sagrados, e exibem notáveis estruturas sobreviventes ao tempo. Ainda hoje, o local é frequentado para a realização diária de práticas religiosas.
 

Göbekli Tepe, Turquia
Nas montanhas de Germus, no sudoeste da Anatólia, pilares em forma de T compõem a paisagem de Göbekli Tepe. Acredita-se que esses monumentos, esculpidos com imagens que revelam as crenças e o modo de vida da época, eram criados para rituais de morte na era neolítica pré-cerâmica. 
 

Conjuntos góticos vitorianos e de art déco de Mumbai, Índia
Parte do seu planejamento urbano realizado nos séculos 19 e 20, a cidade de Mumbai realizou na época a criação de arquiteturas neogóticas e prédios no estilo art déco. Incorporando elementos indianos, as construções tornaram-se únicas e até hoje representam o processo de modernização da cidade.
 

Catedral de Naumburg, Alemanha
A construção da Catedral iniciou em 1.028, e sua arquitetura começou a ser desenvolvida com inspirações do estilo românico. No entanto, elementos góticos foram incorporados ao projeto antes da sua finalização, tornando sua estrutura deslumbrante e única.  
 

Cidade do Califado da Medina Azahara, Espanha
Construída no século 10, a cidade foi considerada a capital do Califado da Córdoba até sua destruição na guerra civil. No início do século 20, foram encontrados fragmentos das rodovias e das pontes, revelando vestígios da cultura e da civilização islâmica da época. 
 

Locais Cristãos Ocultos na Região de Nagasaki, Japão
Ao noroeste da ilha de Kyushu, religiosos mantinham suas crenças em segredo devido a proibição da fé cristã. Nesses locais, construídos entre o século 16 e 19, a religião era praticada escondido. Essas propriedades, formadas por dez aldeias, pelas ruínas do Castelo de Hara e por uma catedral, representam essa era histórica do país.
 

Paisagem Arqueológica Sassânida da Região de Fars, Irã
As fortalezas e os palácios das áreas Firuzabad, Bishapur e Servestan, em Fars, datam do Império Sassânida entre 224 e 658 d.C. Seu estilo arquitetônico é marcado pelas tradições culturais e artes romanas, responsáveis por causar um impacto bastante significativo na era islâmica.  
 

Complexo Arqueológico da Fronteira de Hedeby e Danevirke, Alemanha
As ruínas de uma antiga cidade comercial importante hoje exibem alguns vestígios de rodovias, fortificações e cemitérios da era Viking, revelando um pouco dos costumes da época e da sua civilização graças à sua arqueologia bem preservada.  
 

Ivrea - Cidade Industrial do Século 20, Itália
Os principais arquitetos urbanos da Itália projetaram a cidade entre 1930 e 1960, com o intuito de capturar a relação do industrialismo com a arquitetura.  A cidade foi um importante cenário da fabricação de máquinas de escrever, calculadoras e até computadores. 


Sítio Arqueológico de Thimlich Ohinga, Quênia
Na região do Lago Vitória, esse local de muros de pedra tem sua construção datada do século 16 d.C. Acredita-se que o assentamento serviu como um forte para a criação de gado, e hoje se mantém como um exemplo da tradição das primeiras comunidades pastoris da região, além de ser uma das mais bem preservadas.  

Cidade Antiga de Qalhat, Omã
A antiga cidade de Qalhat é cercada de muralhas, e desenvolveu-se como um importante porto da região entre os séculos 11 e 15. Sua estrutura arqueológica foi palco de grandes relações comerciais entre a Arábia, a África Oriental, a Índia, a China e o Sudeste Asiático. 


Oasis de Al-Ahsa, Arábia Saudita
Considerado o maior oásis do mundo e um dos lugares mais verdes do país, o Oasis de Al-Ahsa possui cerca de três milhões de palmeiras espalhadas por seu território, além de 150 nascentes naturais de água quente e fria. O local também é dono de 10 mil hectares de terras agrícolas, e conhecido por servir como um importante centro portuário e comercial. 

0 Comentário

Comentários com conteúdo impróprio e/ou spam poderão ser removidos.